Mentirinhas e Mal-Entendidos do Gilberto Kassab e incendio na Comunidade do Moinho

Publicado: janeiro 5, 2012 em Uncategorized

Logo após a Implosão que não ocorreu:
“Sucesso foi nossa estratégia de restabelecer o mais rápido possível a circulação de passageiros e transporte de carga”

No entanto a empresa responsável, depois de dias, explicou:

“O prédio realmente foi programado pra cair. Com certeza, eu esperava que ele fosse ao chão. Isso aí não vou negar”, declarou Bartoli. Segundo ele, foi utilizada apenas metade da quantidade de explosivos prevista inicialmente. A Desmontec vai receber R$ 2 milhões pela implosão.
Levianas são as críticas?”As críticas são levianas e irresponsáveis. Não era preciso fazer uma grande implosão porque isso poderia danificar as próprias linhas além de causar risco maior as famílias.
A empresa contratada, portanto, agiu com competência e cautela procurando implodir o mínimo possível e liberar a linha o mais rápido possível”, completou Kassab.

Preço da Implosão e Total de Explosivos
Todos os Jornais noticiaram:
O custo da implosão foi de cerca de R$ 3,5 milhões, pagos às empresas Desmontec, que detonou os explosivos, e Fremix, responsável por transformar os detritos em brita.
Ao todo, 800 kg de explosivos foram usados em 2,2 mil furos feitos em 260 pilares do térreo e do primeiro andar.

Já a empresa:
Segundo ele, foram utilizados 400 kg de explosivo, metade do que foi previsto inicialmente. “Devido ao tempo que a gente teve para fazer o trabalho e devido aos estudos que foram feitos durante a própria perfuração, foram 2 mil e poucos furos, chegou-se à conclusão que não valeria a pena arriscar colocar cargas de explosivos acima do segundo pavimento”, afirmou.
Somente dois dos seis andares do antigo Moinho Central, no bairro de Campos Elísios, no centro, vieram abaixo após a implosão promovida na tarde de ontem pela Prefeitura de São Paulo. O restante ficou praticamente intacto, inclusive as duas torres altas nas extremidades da edificação.

Quantidade de Explosivos Carandiru e Moinho:

Implosão Carandiru
da Folha de S.Paulo – 08/12/2002 – 04h01
Depois de 46 anos de existência, quase metade deles sob a promessa de desativação, o maior símbolo do fracasso do sistema prisional brasileiro finalmente começa a desaparecer. Três pavilhões da Casa de Detenção, no complexo do Carandiru (zona norte de São Paulo), devem ir abaixo e virar entulho às 11h de hoje.
A história de mortes, rebeliões, fugas e do chamado massacre do Carandiru, ocorrido em 1992, começa a mudar, segundo o governo do Estado, com o uso de 250 quilos de explosivos.
Com 300 kg de dinamite, implosão do Carandiru vai durar menos de 1 minuto

Revista Época

http://revistaquem.globo.com/Revista/Quem/0,,EMI34247-9531,00-COM+KG+DE+DINAMITE+IMPLOSAO+DO+CARANDIRU+VAI+DURAR+MENOS+DE+MINUTO.html

Em menos de um minuto os pavilhões 6, 8 e 9 da Casa de Detenção vão ficar reduzidos a pó. A implosão do presídio desativado, que vai dar lugar ao Parque da Juventude, está prevista para as 11h de domingo.
Segundo o secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa, vão ser utilizados 300 quilos de dinamite para a implosão dos três pavilhões. Pelo menos 450 pessoas entre autoridades, convidados e jornalistas devem assistir à cerimônia. O público também vai poder acompanhar os trabalhos por um telão.

Curiosidades: Implosão no Carandiru Superfaturada:
Superfaturamente Implosão Carandiru: http://g1.globo.com/Noticias/SaoPaulo/0,,MUL46424-5605,00.html
http://www.gazetadigital.com.br/conteudo/show/secao/4/materia/144473

Na Operação urbana a Comunidade esta no Trecho Centro-Leste (da Av. Tiradentes até as estações do Brás) – que irá abranger:Com a superação da barreira ferroviária, haverá a continuidade e a conexão das vias como Av. Angélica, Eduardo Prado e Tenente Pena, Ribeiro da Silva com Julio Conceição, além da existente ligação da Alameda Nothman com a Rua Silva Pinto, o que conectará os bairros do Bom Retiro e da Santa Cecília.
A reurbanização da rua Mauá também proporcionará uma conexão entre os bairros centrais. Na Av. do Estado, o rio Tamanduateí será um importante ponto inicial para inserção na qualificação urbana desejada pelo projeto. Os equipamentos históricos Moinho Matarazzo, Tecelagem Mariângela, Largo da Concórdia, Memorial do Imigrante serão evidenciados.

Outro fator importante neste setor é os equipamentos culturais separados pela Av. Tiradentes, bem como os problemas habitacionais da favela do Moinho, entre as linhas férreas 7 e 8 da CPTM.

No caso da Av. Tiradentes, o projeto é que vai detalhar a melhor maneira de se fazer a ligação dos edifícios culturais. “Provavelmente haverá o rebaixamento do tráfego de passagem e um tráfego mais local em cima, criando condições melhores de urbanização em que as pessoas possam cruzar tranquilamente essa avenida. Isso é uma possibilidade”, sugere Bucalem.

Veja o termo de referência para contratação da Empresa:
http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/chamadas/trouc_lapa-bras_-_versao_consulta_publica_1289322011.pdf

FOTOS Estadão: http://estadao.br.msn.com/fotos/implos%C3%A3o-em-sp
FOTOS Folha: http://fotografia.folha.uol.com.br/galerias/5964-implosao-do-predio-na-favela-do-moinho

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s